Fito Festival 2011

O Festival

SESI leva novamente o FITO para Campo Grande, com programação inédita

Campo Grande, 21 de novembro de 2011 - O Festival Internacional de Teatro de Objetos (FITO) traz para o Mato Grosso do Sul 13 grupos de seis países diferentes para mais de 60 apresentações em evento gratuito realizado pelo Sistema SESI /FIEMS entre os dias 02 e 04 de dezembro no Centro de Convenções Albano Franco.

O público de Campo Grande (MS) ganhará uma segunda edição do Festival Internacional de Teatro de Objetos (FITO), mas com gostinho de primeira vez. Explica-se. É que o evento, que acontece entre os dias 02 e 04 de dezembro, e acabou de passar pelo Recife (PE) – depois de percorrer seis cidades brasileiras -, traz para capital do Mato Grosso do Sul uma programação que inclui espetáculos e performances que acabaram de sair do forno; e ainda companhias que estreiam na programação do Festival. O evento, idealizado por Lina Rosa, diretora de criação e sócia da Aliança Comunicação e Cultura, acontece numa superestrutura montada no Centro de Convenções Albano Franco. O FITO é uma realização do Serviço Social da Indústria (SESI-PE /FIEMS). O acesso é gratuito.

Entre as apresentações musicais que marcará esta edição, as dos pernambucanos Otto e Naná Vasconcelos.  Cada um com uma performance especialmente criada para o FITO. Otto, embora traga o seu “Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos”, - nome do quarto CD da carreira -, e eleito melhor do ano pela revista Trip, mostrará ao público uma apresentação diferente que incorpora intervenção percussiva de objetos, como tonéis de tinta e portas de geladeira.

Já Naná Vasconcelos – reconhecidamente um dos maiores percussionistas brasileiros -, ganhador do Grammy Latino 2011 na categoria regional, “arrasta” o público com o seu “Pinipan” (contração das palavras penicos e panelas). Várias vezes apresentada na programação, nos três dias de FITO, Pinipan também ganha participação dos meninos do Grupo XPTO (SP). A performance do XPTO leva assinatura do diretor Osvaldo Gabriele, também responsável pela cenografia do FITO. “Do felicíssimo encontro de Naná Vasconcelos com o XPTO nasceu uma performance de abertura onde utilizamos panelas, penicos, bacias, conchas e colheres como instrumentos musicais. Parangolés de utensílios de cozinha serão “servidos” no corpo dos artistas-mestres-cucas-brincantes”, explica Gabriele.

Além dessas apresentações, companhias e espetáculos irão fazer sua estreia dentro do Festival Internacional de Teatro de Objetos em Campo Grande. Inclusive, o próprio XPTO, que leva a performance “Artistas Apaixonados”. Nela embalados pela cadência de um tango, transformarão as cadeiras nas quais estarão sentados em amantes sensuais. É o exemplo também do espetáculo “Xirê das Águas - Orayeyê Ôh”, da companhia Gente Falante, de Porto Alegre, e o novíssimo “Irregular”, da companhia Gare Centrale, da Bélgica. Ainda na programação, as companhias francesas L' Oisiveraie, com o espetáculo “Petit Cirque”; Casa Degli Alfieri (ITA), com “Tic Tac Tic Tac”; e Beau Geste (FRA), com “Transports Exceptionnels”. Este último, uma grandiosa, literalmente, apresentação em que uma retroescavadeira contracena com um bailarino-artista travando uma delicada “tensão” aço-carne. Esse dueto se transforma, na verdade, numa dança, que se materializa como uma verdadeira “instalação urbana”.

  Para receber o público de Campo Grande, o “mestre de cerimônias de luxo”, Dr. Quinquilharia. Na pele do personagem, o ator Pascoal da Conceição, que acabou de interpretar o mordomo Inácio na novela das onze horas da TV Globo, O Astro. Dr. Quinquilharia, durante todo o FITO, interage com o público presente, brincando com as pessoas. Na verdade, quem vai ao Festival Internacional de Teatro de Objetos tem sempre uma atração para curtir para além dos espetáculos. O que torna a ida ao evento muito mais prazerosa.

FITO - Você já ouviu falar da “modalidade cênica” teatro de objetos? Nascida na Europa dos anos 70, nela, objetos viram de maneira lúdica e inteligente personagens de suas histórias. Um saca-rolha gigante se transforma numa graciosa bailarina; leques imitam o traquejo de pavões; chaleiras e xícaras valsam; uma torneira vira fielmente a representação de um velhinho chorando; numa diversão garantida para a imaginação de crianças e adultos. Em sua jornada pelo Brasil, o FITO – único festival do tipo no País -, já foi visto por mais de 150 mil pessoas de sete cidades diferentes: Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Florianópolis (SC) e Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS) e Manaus (AM) e Recife (PE). “O Teatro de Objetos é uma forma de metáfora crítica inteligente, que faz pensar, diverte, educa e sensibiliza a plateia”, explica Lina Rosa, idealizadora do evento.

TEATRO DE OBJETOS - Pouco explorado no Brasil, o Teatro de Objetos possui uma forte presença na Europa, continente de onde virá a maior parte das companhias cênicas. Nos três dias, 13 grupos oriundos do Brasil, Argentina, Holanda, Espanha, Bélgica, Itália e França realizarão mais de 60 apresentações, que têm classificação livre, 12 anos e adulto. O festival funcionará das 16h30 às 22h na sexta, e a partir das 16h30 no sábado e domingo. Entre os destaques da edição em Campo Grande, apresentação especial do músico Naná Vasconcelos – que acabou de ganhar o Grammy Latino 2011 na categoria regional -, que apresenta “Pinipan”, especialmente elaborado para o Festival Internacional de Teatro de Objetos, no qual utiliza pinicos e panelas para fazer música; e o músico pernambucano Otto que mostra, no sábado (03/12), apresentação do elogiadíssimo “Certa manhã acordei de sonhos intranquilos”, incrementado com vários objetos diferentes na percussão.

OFICINAS - Além das apresentações, o público poderá participar de duas oficinas, oferecidas gratuitamente. A oficina “Teatro de Objetos e Identidade”, com a atriz e dramaturga do Grupo Sobrevento, Sandra Vargas. Durante a oficina, serão trabalhados os princípios básicos do Teatro de Objetos, buscando caminhos que permitam ao ator dar uma função poética ao objeto sem transformar a sua natureza. A oficina tem capacidade para 20 alunos, e acontece entre 28 de novembro a 02 de dezembro, das 9h às 13h. Como público-alvo: estudantes, professores e profissionais das áreas de Artes Cênicas, Artes Plásticas e Fotografia. Importante: Cada aluno deverá trazer um objeto que seja especial, uma ferramenta um objeto de medicina, um objeto de cozinha, um objeto de costura, um objeto estranho, uma foto especial e uma música especial.

Com o tema Introdução ao Teatro de Objetos, a segunda oficina será ministrada pelo diretor Jaime Santos, da Cia. La Chana Teatro (ESP).  Nas aulas, caminhos para a criação de uma dramaturgia para o Teatro de Objetos. A explanação do panorama histórico da linguagem para chegar a uma compreensão do conceito. Por meio de improvisações, os participantes conhecerão os princípios técnicos da manipulação; e da relação do ator com o objeto e de sua construção dramática, distintos do Teatro de Animação. Capacidade: 20 alunos. Entre 28 de novembro a 02 de dezembro, das 14h às 18h. Como público-alvo: estudantes, professores e profissionais das áreas de Artes Cênicas, Artes Plásticas e Fotografia. Ambas, no Centro de Convenções Albano Franco - Av. Mato Grosso, 5017 - Telefone: 3326.7400. Inscrições: entre os dias 21 a 30 de novembro, das 10h às 12h e das 15h às 17h, no próprio local.

ESTRUTURA - Para abrigar o FITO, uma estrutura cenográfica especial. O diretor Osvaldo Gabriele preparou uma cenografia especial e diferente para Campo Grande. Nela, a “areia” será o grande elemento de construção e transformação de uma identidade cênica. A areia que é o início e a liga no processo de construção de uma casa ou de um edifício e também participa na composição dos vidros e cristais que deixam penetrar a luz e nos permite olhar de dentro das construções para o infinito. A areia é também fim; quando tudo rui, a ação do tempo torna tudo areia novamente. O ciclo da vida e morte é também o ciclo da areia. Terá uma ilha central de areia de onde nascerão, como cristais ou monólitos antigos, grandes relógios de pêndulo que criarão uma paisagem surreal como que saída de uma obra de Salvador Dalí. De várias nuvens de bolas brancas choverão relógios de ampulheta cheios de areia colorida. Uma cantora lírica passeará cantando e recitando poemas sobre este espaço onírico.

A superestrutura do FITO montada no Centro de Convenções Albano Franco conta com teatros climatizados, quatro minissalas de espetáculos e cenografia interativa. O ambiente terá cinco salas para espetáculos nacionais e internacionais, sendo três delas com capacidade para receber até 200 pessoas, e duas com menor capacidade para 50 pessoas.

FITO NA INTERNET: Acompanhe o Festival pelo Facebook (/fitofestival) e pelo Twitter (@fitofestival) – onde as ações serão postadas em tempo real. Já a programação completa pode ser conferida no site: www.fitofestival.com.br.

APRESENTAÇÕES – Na sexta-feira (02/12), primeiro dia de evento, a partir das 15h, serão apresentados mais de 20 espetáculos. Com destaque especial para a performance “Pinipan”, do pernambucano, reconhecido mundialmente, Naná Vasconcelos, que acontece às 17h40. No sábado (03/12), as 22 apresentações começam a partir das 16h; com a programação sendo encerrada em grande estilo com apresentação do músico pernambucano Otto, às 22h. No domingo, os 13 grupos se apresentam a partir das 16h, com destaque para o duo de performance de Naná Vasconcelos e o grupo paulista XPTO, que se apresentam às 17h40.

DESFILE PERFORMÁTICO – Na abertura e no fechamento do FITO, o público vai assistir à apresentação de Naná Vasconcelos e o grupo XPTO, que virá com todos vestidos de cozinheiros e tocando móbiles feitos com panelas e bacias de cozinha. Com a areia como elemento de partida da criação, o FITO Campo Grande contará com uma ilha central de areia de onde nascerão, como cristais ou monólitos antigos, grandes relógios de pêndulo, criando uma paisagem surreal como que saída de uma obra de Salvador Dalí. De várias nuvens de bolas brancas “choverão” relógios de ampulheta cheios de areia colorida. Uma cantora lírica passeará através deste espaço onírico cantando e recitando poemas sobre o tempo.

FITO MOSTRA VIVA - Performances curtas realizadas por atores em quatro minissalas para pequenos grupos. Depois que a performance é finalizada, o ator explica ao público fundamentos básicos do teatro de animação de objetos e convida alguns espectadores a participar da cena.

FITO FEIRA - Mostra de objetos interessantes ou inusitados, além de antiguidades, que poderão ser adquiridos pelos visitantes.

FITOGRAFIA – Espaço interativo cenográfico onde o público é fotografado ao ‘bailar’ com um cabideiro. À disposição dos visitantes, há uma série de chapéus para que o visitante “dê a cara” que prefere ao seu parceiro de dança. O visitante leva para casa como lembrança a foto impressa.

Compartilhe

Campo Grande/MS

de 02 a 04/12

no Centro de Convenções Albano Franco
a partir das 16h00

Depois de surpreender Campo Grande no ano passado, o FITO volta com nova programação

Companhias de 7 países, performances, exposição fotográfica, apresentação especial com Otto e Naná Vasconcelos.